A PROFISSÃO DO FUTURO

Devido aos avanços tecnológicos as ferramentas de inteligência artificial e robótica as profissões atuais são cada vez mais substituídas pela automação.

Obviamente sabemos que os subempregos mais conhecidos como trabalhos braçais que não exigem muito conhecimento já foram ou estão sendo substituídos pela “máquina”.

Em alguns supermercados já não existem caixas nem filas, através de um aplicativo você escolhe suas compra e automaticamente é debitado do seu cartão, sem a necessidade de um humano no caixa para passar as suas compras e realizar a cobrança.

Porém, as profissões consideradas de “categoria”, ou seja, as mais conhecidas e valorizadas, também estão ameaçadas e serão substituídas por robôs no longo prazo!

Nos EUA, por exemplo, podemos constatar as primeiras versões de robôs dotados de Inteligência Artificial que já resolvem casos jurídicos com base na Jurisprudência existente, tornando desnecessária a contratação de um advogado para casos de menor complexidade.

Outro exemplo de carreira que também se encontra ameaçada são os médicos, a nanotecnologia atrelada a inteligência artificial já permitem que cirurgias de grande risco fossem feitas sem o médico tornado desnecessária sua contratação, ou seja, os nano robôs serão injetados diretamente no corpo do paciente que farão os procedimentos necessários em sua bioquímica interna.

Se você já percebeu que os impactos tecnológicos tem afetado sua carreira, e você tem buscado uma segunda fonte de renda ou uma nova profissão, porque não escolher uma que lhe permita obter ganhos com valores expressivos, liberdade de tempo e qualidade vida?

Mas será que a Profissão Trader não viria também a ser substituída por robôs?

Seria uma possibilidade, no entanto, é muito menos provável do que as profissões de “categoria”.

Vamos pela lógica,

Quando o assunto é a substituição do “homem” pela máquina em uma determinada profissão, o principal objetivo do desenvolvimento de referida tecnologia é a economia de custos, agilidade, melhor produção, e que automaticamente os robôs possam superar os humanos.

Se pararmos para pensar, quais serão as profissões mais atingidas?

Logicamente as tradicionais, que ocupam uma parcela considerável do mercado e altos custos para contratação desses profissionais.

Em relação aos Traders individuais, ou seja, pessoas físicas não existem nenhuma hipótese plausível para substituição dos Traders individuais, tendo em vista que no Brasil apenas menos de 600 mil pessoas, o que representa 0,29% da população, investem na bolsa no Brasil.

Logo, os Traders individuais não representam nem 1% do volume total negociado no mercado fazendo com que essas operações não prejudiquem os grandes bancos e corretoras presente no mercado.